Jaime Lerner apoia o documento "A partir das ruas, simplifica Brasil"

Jaime Lerner apoia o documento "A partir das ruas, simplifica Brasil"

“Assino o manifesto com entusiasmo”, declarou o arquiteto Jaime Lerner, durante encontro com o membro do Conselho de Administração da Abrasel, Marcelo Woellner Pereira, ocorrido no dia 28 de maio, em Curitiba. Na ocasião, Lerner recebeu telefonema de Paulo Solmucci, presidente executivo da Abrasel, que acabava de retornar de viagem ao exterior. O executivo da entidade agradeceu o apoio do arquiteto à causa nacional da entidade, em favor do fortalecimento do setor de bares e restaurantes e, por conseguinte, da vida urbana nos espaços das ruas.

 Arquiteto Jaime Lerner se reúne com o presidente do Conselho Estadual da Abrasel Paraná, Marcelo Pereira

 Arquiteto Jaime Lerner se reúne com o presidente do Conselho Estadual da Abrasel Paraná, Marcelo Pereira

 “O país está precisando de um movimento assim. Só se pode ser a favor dele. É fundamental que cresça. Contem com meu apoio”, disse Lerner a Solmucci, reiterando o que, momentos antes, havia afirmado ao conselheiro Marcelo Pereira, durante o encontro de Curitiba, no qual esteve presente, também, o diretor executivo da Abrasel no Paraná, Luciano Bartolomeu. O arquiteto condenou o excesso de normas que os poderes públicos costumam impor, em todo o país, aos bares e restaurantes.

“É preciso que haja a coexistência espontânea, nas ruas, sem que o governo fique o tempo todo inventando padrões para os bares e restaurantes. O único padrão é o de não se obstruir a passagem nas calçadas. E pronto. Padrão é sempre mediocridade”, disse Lerner, na reunião com os dirigentes da Abrasel. O arquiteto criticou o espaço que, nas cidades brasileiras, se oferece aos carros, em detrimento da convivência entre as pessoas. 

“As cidades foram privatizadas pelos automóveis. Até mesmo nas residências, o que se dá é o máximo de espaço para os automóveis. Aqui, constroem-se 300 metros quadrados de apartamento, e 100 metros são para o automóvel. Quando se cria uma faixa exclusiva para ônibus, as pessoas reclamam. E há os condomínios, cada qual personalizado com um nome diferente, colocando-se todo mundo dentro dos muros, com espaços gourmets, pet shop, home theater, e por aí vai”, discorreu Lerner.

Segundo ele, a campanha da Abrasel tem a virtude de reforçar as ruas, e, por meio delas, estimular a convivência e a coexistência nas cidades. “Que os bares e restaurantes estejam nas ruas, e não dentro dos muros. Copiamos o que há de pior. Em Paris, paga-se 130 mil euros por um apartamento, em um bom ‘quartier’ (vizinhança). É a moradia mais barata do mundo. Só que esse apartamento tem 12 metros quadrados, porque tudo está na rua. A Europa mistura tudo: renda, idade, etnia, moradia, trabalho, comércio. Aqui, separamos tudo, morando aqui, trabalhando lá, com grande prejuízo para a mobilidade”.

Lerner espera que os milhares de empreendedores dos bares e restaurantes, no país inteiro, levem o manifesto adiante. A difusão do manifesto, conforme disse, pode se tornar o vetor de uma transformação positiva, em grande escala. Em tom humorado, disse que a rua, com bares e restaurantes, é a síntese do país e da cidadania. “A rua é o país. O balcão, a urna”.

O arquiteto Jaime Lerner foi prefeito de Curitiba, em três mandatos, e governador do Paraná, em duas gestões. Presidiu a União Internacional de Arquitetos (UIA), sediada em Paris. Em 2010 foi nominado pela revista Time um dos 25 pensadores mais influentes do mundo. Em 1990, recebeu o prêmio máximo das Nações Unidas para o meio ambiente. Em 1996, o prêmio internacional Criança e Paz, da Unicef. Em 2002, ganhou o Sir Robert Mathew Prize, pelo desenvolvimento da qualidade de vida em assentamentos humanos, conferido pela UIA.

*Texto de Valério Fabris