Cidade Segura e com Mobilidade

Quanto mais bares, restaurantes e comércio lojista, melhor é a segurança das ruas. Sem eles, as ruas ficam desvitalizadas. Gente atrai gente. A movimentação de pessoas é requisito básico da segurança. Uma rua sem movimento é mais insegura. Mesmo quando as lojas se fecham, nos fins de tarde, os bares e restaurantes ainda permanecem abertos, irradiando pontos de luz, mantendo acesos e voltados para o entorno os olhares de seus frequentadores. A melhor mobilidade urbana, por sua vez, começa nas ruas, na qualidade das calçadas, na disponibilidade de transporte público. 

Entenda:

Os bares e restaurantes fortalecem os elos de vizinhança, estabelecem vínculos e identidades, facilitando a percepção aos comportamentos estranhos à sua rotina. Simultaneamente, o entra-e-sai nos bares e restaurantes, bem como no comércio lojista, dá conforto aos usuários do transporte coletivo. Quando os pontos de ônibus estão próximos às portas abertas de lojas, bares ou restaurantes, melhor protegidos ficam os passageiros que aguardam, às vezes longamente, o momento do embarque. 

As ruas vivas criam bairros de convívio permanente e múltiplo. Elas somente são possíveis quando contemplam usos mistos de moradia, trabalho, lazer e circulação. A melhoria da mobilidade urbana tem como primeiro fundamento o menor deslocamento das pessoas, de casa para o trabalho, do trabalho para o entretenimento, do entretenimento aos pontos de ônibus ou às estações de metrô. Cidades de usos mistos tornam as pessoas menos dependente do automóvel. As áreas segmentadas, de usos exclusivos, sejam para fins unicamente residencial ou industrial, deixam as ruas desertas, fragilizando o deslocamento dos caminhantes. Os bares e restaurantes são protagonistas da rua com vida.

Solução:

Estabelecer uma aliança entre o setor de Alimentação Fora do Lar e os gestores urbanos, especialmente com arquitetos e urbanistas, com vistas a permanentes intervenções voltadas à revitalização e requalificação das ruas.  É imprescindível que tais campanhas de melhoria do ambiente externo (fatores exógenos) aos bares e restaurantes seja combinadas com a remoção de obstáculos legais e burocráticos (fatores endógenos), que muitas vezes inviabilizam os negócios dos bares e restaurantes, mesmo quando esses estabelecimentos estão situados nas melhores ruas das cidades.  

Avanços:

Há iniciativas de algumas lideranças municipais que devem ser apoiadas pelo setor de Alimentação Fora do Lar, como a criação e aperfeiçoamento de leis voltadas à melhoria das calçadas, à moradia nas áreas centrais, ao aumento da frequência do transporte público à noite, aos investimentos em ciclovias, à adequação dos planos diretores com vistas à abertura do comércio nos eixos de transportes, mesmo aqueles que cortam bairros que são, hoje, de uso exclusivamente residencial. Requer-se uma ação permanente da Abrasel junto aos vereadores, prefeitos, arquitetos, membros do Ministério Público, líderes comunitários.